4 novembro, 2010

Sala do Aborto

Valeu por fazer o download de graça! Em troca, divulgue no seu Twitter e Facebook! Não custa nada, também! E ajuda bastante!






Por favor, adicione seu email pra receber notícias de Seychelles. São poucos, nós também odiamos spam! E nunca divulgaremos seu email pra ninguém.

Valeu!

Outra forma de colaborar é dando uma contribuição via payPal

A gravação de Sala do Aborto

Em um fim de semana livre na agenda de três amigos julho de 2007, Fernando Coelho, Rodrigo Fonseca e Renato Cortez, entram em estúdio e assumem identidades ocultadas e trocadas por pseudônimos (o Padre, a Múmia e o Vampiro, respectivamente).

O repertório baseou-se em letras ácidas e com humor. Todas composições criadas por um dos três participantes do projeto, contando com parcerias em alguns casos.

O local escolhido para as gravações foi o estúdio que normalmente era usado para os nossos ensaios na casa do Rodrigo Fonseca, no bairro dos Jardins em São Paulo.

A produção, mixagem e masterização ficou por conta de Renato Cortez, o Vampiro!

A música “Sala do Aborto” foi idealizada durante as gravações, mas se tratava de um roteiro para o episódio piloto de uma radio novela, e precisava de uma produção maior. Foi no 12 Dólares (estúdio do produtor Fabio Pinczowski) no Bairro do Bom Retiro em São Paulo, onde gravamos e editamos este que seria o capítulo piloto desta emocionante história de Carolina.

Ficha técnica:

1 – Sala do Aborto
(Roteiro e Letra: Fernando Coelho)

Rodrigo Fonseca – Doutor, Baixo
Fernando Coelho – Ângela, Secretária, Guitarra
Renato Cortez – Namorado, Perussão
Fabio Pinczowski (Mamma Cadela) – Apresentador, Ominychord
Guilherme Garbato (Abimonistas) – Carol (Sax)

2 – Criança Junkie
(Letra: Gustavo Garde, Fernando Coelho/ música: Rodrigo Fonseca)

Fernando Coelho – Voz, Percussão
Rodrigo Fonseca – Voz, Violão, Bateria
Renato Cortez – Baixo

3 – Guido Crepax
(Letra: Pedro Farled, Música: Rodrigo Fonseca)

Geléia (Trovadores de Bordel) – Voz
Rodrigo – Baixo, Violão, Escaleta, Bateria
Fernando Coelho – Guitarra
Pedro Farled – Narração
Miro Dantas – Backing Vocal

4 – Kamasutra Hardcore
(Letra: Pedro Farled e Rodrigo Fonseca, Música: Rodrigo Fonseca)

Mauro Motok (Ludov) – Voz
Renato Cortez – Teclados
Fernando Coelho – Guitarra, Slide
Rodrigo Fonseca – Bateria, Guitarra, Baixo

5 – Mississipi dus Infernu
(música e letra: Rodrigo Fonseca)

Luis Miranda (Chinpanzé Clube Trio) – Lap Steel
Fernando Coelho – Bateria
Rodrigo Fonseca – Voz, Violão de aço, Baixo

6 – Don’t Microphonize
(música: Mamma Cadela /letra: Rodrigo Fonseca)

André Frateschi (Heroes) – Voz
Carla Cristina – Backing Vocals
Mari Poppovic – Backing Vocals
Fernando Coelho – Guitarra, Percussão, Backing Vocals
Renato Cortez – Bateria, Percussão, Teclado, Guitarra, Backing, Moog FX
Rodrigo Fonseca – Baixo, Percussão, Backing

7 – Barraca
(música e letra: Fernando Coelho)

Fernando Coelho – Bateria, Guitarra, Vozes
Rodrigo Fonseca – Backing Vocals
Miro Dantas (Boom Project Band) – Backing Vocals
Geléia – Backing Vocals
Renato Cortez – Baixo, Backing vocals

8 – Fragmento
(música: Fernando Coelho)

Fernando Coelho – Guitarra
Renato Cortez – Violão

9 – Vegas
(música e letra: Rodrigo Fonseca)

Gustavo Garde (Seychelles) – Voz
Rodrigo Fonseca – Guitarra, Baixo, Theremin
Fernando Coelho – Bateria

10 – Vai Danada!
(composição: Renato Cortez)

Renato Cortez – Teclados MIDI e analógico, Voz sampleada, Percussão
Fernando Coelho – Guitarra, Percussão

11 – Fantasma pintor de parede
(Música e Letra: Fernando Coelho)

Alê Carmani – Voz
Isamel Lima (Mamma Cadela) – Toca Disco
Fernando Coelho – Guitarra
Renato Cortez – Baixo, Programações eletrônicas

O Conceito gráfico

Desenho gentilmente cedido pelo ilustrador Mauro Golin (Mureta), impresso em papel cartão por Marcelo Ozório no mimeógrafo.

Fotos de Fernando Coelho e Rodrigo Fonseca por Habacuque Lima

E no próximo episódio, a história de Regininha, juvenil e depravada…

22 junho, 2007

Letras de Ninfa do Asfalto

Aqui estão as letras do Ninfa do Asfalto, com algumas sobras que não entraram no disco, como Apreciador de Status e Felipe Morre.

até,

rmc.

Ninfa do asfalto
(Letra: Gustavo / Música: Seychelles)

Estou
No sinal fechado
Motorista mal amado

Não vou
A lugar nenhum
Crucificado deus urbano

Eu sou
Ser cosmopolita
Poluído, excitado

Aqui
Sou realizado
Meu pulmão congestionado

Vou passar
Sai daqui
Vai a pé
Tenha fé
Sai de mim
Vai pra lá
Volta aqui

Coração robô
Coração pornô, coração
Coração motor

A cidade é a serpente que engole o próprio rabo
Que oferece a maçã
O pecado em si esparramando-se irremediavelmente por todos os lados
O paraíso incendiado
O inferno eldorado
Periferia combustão
Explosão demográfica
O que é público não é de ninguém
É de todos e ninguém o tem

Coração robô
Coração motor, coração
Coração pornô

3ª pessoa
(letra: Fernando Pessoa / Música: Seychelles)

Dorme que vida é nada
Dorme que tudo é vão
Se alguém achou a estrada
Achou-a em confusão
Com a alma enganada

Baste a quem baste
O que lhe basta
O bastante de lhe bastar
A vida é breve
A alma é vasta
Ter é tardar

Goza a Qualquer Preço
(Letra: Gustavo e Coelho / Música: Seychelles e Fabio Pinc)

Gozo a qualquer preço
O limite até a dor
Exploração da anatomia

Goza morena
Rosa morena

À face do tempo
(letra: Gustavo / Música: Coelho)

À face do tempo
Não tenho olhos
Caroço perdido
raízes profundas

varizes perfuradas
vasos obstruídos
pupila dilatada
caminho perdido

porque perdido porque
palavra angústia
hérnia de disco
cisto sinuvial

artéria do tempo
não tenho face
caroço profundo
raízes partidas

sentido vazio
o centro sumiu
vaga-lume apagado
inseticida inalado

porque perdido porque
palavra tristeza
aqui na mesa
para o deleite de vossa alteza


Semente
(Letra e Música: Coelho)

Um buraco sem semente
Rapidez e higiene

Foge a dor corre criança sem amor
Por favor, seja leal

Foi barato com desconto
Um só banho, um sabonete

Falsidade e solidão nesse encontro
Por favor, seja seal

Sinto falta de amizade
De mais tempo e mais verdade
Corta a dor morre criança sem amor
Por favor, seja leal

Foi barato e com desconto
Pude me lambuzar
Falsidade e solidão
Pude me lambuzar

Highway
(letra: Gustavo / Música: Seychelles)

Brutalidade
Carnificina
Humanidade

O sangue escorre
Dos dentes da fera
O monstro da guerra

Jazz do Porto
(Música: Coelho)

Onde é que tu moras?
Meu lençol te espanto

Por quem é que choras
Quando eu te canto?

Meu azul doendo
Meu barco parado

Passarinho morrendo
Mas sem ter voado

Yo voy salir
Voy partir sin llorar
Porque no te conozco
Mi par

Música perfeita
(Letra: Gustavo / Música: Coelho)

E seu eu pudesse escrever a música perfeita
Reta, direita
Uma que não precisasse nem de letra

E se ao invés de cantar eu latisse no escuro
E se ao invés de tocar eu só fizesse barulho
Vou me vestir de palhaço pro próximo número

Na verdade não faz muita diferença
Só um teste para sua inteligência
A criança e sua brincadeira
Com revólver o giz de cera
Lápis de cor

E seu pudesse escrever o som do capeta
Aquele que você rejeita
Aquele que você gosta mas não aceita

E se ao invés da blasfêmia eu louvasse a Deus
Um cano fumegante e feliz que dia adeus
O meu pedaço no céu já pedi a Abel (indulgência)

E seu eu fosse pop e ficasse encima do muro
E seu fosse bobs de cabelo duro
E se eu fosse porsche e batesse com a cara contra o muro numa grande porrada

Na verdade não faz muita diferença
Só um teste para sua intelegência
A criança e sua brincadeira
Com revólver ou giz de cera
Faber-Castell


Remédio
(Letra: Gustavo e Coelho / Música: Coelho)

Sou inadequado
Um embaraço
No tempo e no espaço

Sou um embaraço
Um passatempo
No tempo e no espaço

A gente é sem perspectiva
Os relaxados
Os quase amados
Sou bala perdida
A minha vida partida ao meio

Sou um passatempo
Esquartejado
Não tenho bens materiais

Célula dividida
Metáfase bandida
Memória esquecida

A gente é sem perspectiva
Os retardados
Beijos regurgitados
Os enjaulados
Iggy Pop ressucitado

Cansei de tanto esperar

Em busca de um remédio

Camisa de força

No tempo e no espaço
Memória esquecida

Apreciador de Status
(Letra: Gustavo e Coelho / Música: Coelho)

Se a imagem diz verdade
Se televisão macabra
Se programa de auditório
Para aumentar o repertório

Apreciador de Status

Sociedade de controle
Se a novela é referência (a consciência)
O que falta é inteligência (malemolência)
Quero ser celebridade (na minha idade)

Apreciador de Status

Quem precisa de tudo isso?

Induzido a amar o caro
Me fotografei para mostrar aos outros
Beijei o espelho, lambi sua moldura
Narciso que és, exibido sem cura

O que valia a pena, então, inteligência !!!


Felipe Morre
(Letra: Gustavo / Música: Coelho)

Cigarro é chupeta de adulto
Um insulto ao meu Marlboro
Mas antes que você dance
Te lembro que o cowboy já morreu de câncer

Criança de rua também fuma cigarro
Morre sufocada na janela do carro
Tudo que queima, um débil barato
Não existe idade pra virar viciado

Dá-me mais um trago
Nicotina corporation faz o meu catarro
Qual a diferença entre o traficante e a empresa de cigarro?
(Felipe Morre)

cigarro é chupeta de gente grande
mas pode ser do pequeno infante
desde cedo, já menino de rua
troca o bico de borracha pelo filtro de espuma

culpa desses homens que fabricam os vícios
inventam as armas
manufaturam as guerras

Então, baby, me vê um cigarro
Me faz uma chupeta
Que hoje eu to carente e careta

Posted by in letras and tagged as

21 março, 2007

Letras de NANANENEN

Aqui estão as letras que compõem o novo álbum do Seychelles.

se liga nos links… 🙂

play and have fun!

esse player é em 128kbps. Clique aqui para ouvir em 192kbps.

Compre via PaypalBAIXEMP3_a

Funcionário Padrão

(fernando, renato, paulo e gustavo)

essa é a última cartada

funcionário da repartição

tome um cafezinho frio

respeite o horário do nosso patrão

funcionário padrão

carreira promissora

essa é chance da sua vida

funcionário da repartição

tome um cafezinho frio

respeite o horário do nosso patrão

burocratizando o tempo

azeitando a máquina

funcionário padrão

carreira promissora

essa é a última rodada

funcionário da repartição

tome um cafezinho frio

respeite o horário do nosso patrão

No caminho de Shangri_la

(gustavo)

toda a vida eu procurei

reunir conhecimento

entender

as leis da natureza

mas faltou-me inspiração

eu vivo em São Paulo

e todo dia

assassino a razão

só o amor pra libertar

o que homem confinou

no caminho de xangri_la

essa crise de valores

a doença social

um abismo

final dos tempos

Poperô1 2

(fernando, renato, paulo e gustavo)

eu não tenho mais menstruação

(you´ll see. could i be?)

resolveu-se a situação hormonal

agora eu não sangro, durmo em pé

(you´ll see. could i be?)

coagulo o cancro mal-me-quer

tégula, tégula

if you believe the bloody baby

is falling down the volunteer

so could i be the tégula?

tégula, tégula, tégula, tégula

lá fora, amor

destrói o dia, a babilônia em chamas

o coração recolhe o filho, a geração terceira

explode o sol do dia

o fogo mar vermelho

sangralove

Seremos nós a última geração de humanos sobre a Terra?

(fernando, renato, paulo e gustavo)

deconstruction

lonely star

my baby blue

blowing dust in milky way

hallelluyah

firescape

every love

there´s no shame my baby blue

uaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Venus Sharapova

(fernando e gustavo)

perfeição da espécie

venus sharapova

atleta de laboratório

flor que nasce in vitro

alma inseminada

bateu o recorde olímpico

venus sharapova

Scaramu

(fernando e gustavo)

foi-se o tempo

permaneceu samurai scaramu

lei da selva

mais de mil anos heremita Scaramu

percorre a Terra

evita o homem Scaramu

repousa em Krishna

devoto Scaramu

não há mentiras

segue o caminho

das águas

não há o que temer é só

descer o rio

qualquer memória

segue o caminho

das almas

sem carma, ressurreição

a vida eterna

sem corpo físico

segue o caminho

agora


Asa do dia

(gustavo)

vai acontecer de novo

um cristo pra pagar o assassinato ao vivo

espetacularizando toda a tragédia

ah, meu bem, hoje vai vingar

intolerância zero bala a ferro e fogo

no sangue dessa gente o sofrimento é em dobro

abram alas, santos cavaleiros

a peste emocional cavalga asa do dia

um sopro de estupidez fustiga a miséria

pouca fé, não move um palha de lugar

toda frustração vira artefato de guerra

no seio dessa gente a aflição é de ouro

Vai acontecer de novo

um cristo pra pagar o assassinato ao vivo

um sopro de estupidez fustiga a miséria

abram alas, santos cavaleiros

a peste emocional cavalga asa do dia

no sangue dessa gente o sofrimento é em dobro

Sanguessuga

(fernando e gustavo)

sanguessuga

cobra cai de boca

sanguessuga

polivalente

sanguessuga

bafo cai de bode

temerário

itinerário

sanguessuga

tímido e babaca

sanguessuga

fraco e covarde

prego brocha pra pagar pensão

céu azul

tão feliz

sanguessuga

sai à meia noite

sua fissura

ainda vai te matar

sanguessuga

sempre educado

bons modos

para com a mamãe

sanguessuga

tímido e babaca

sanguessuga

polivalente

eu não vou mais por pra você não

céu azul

tão feliz

Meu irmão é louco

(fernando)

meu irmão é louco

nós amamos ele

não é nossa culpa

eu tentei de tudo

papai

mamãe

titio

vovó

lá vem você passando mal

meu irmão é louco

salve o nosso irmão

salve o nosso irmão de sangue quente

vamos lá, irmãos


Punk modinha

(fernando e gustavo)

punk modinha já passou

compra roupinhas com a mamãe

então porque continuar?

punk modinha

punk modinha quer dinheiro

revoltadinho da mamãe

o anarquista classe média

nem sabe o que é black sabbath

punk modinha

punk modinha quer dinheiro para procriar

punk modinha quer dinheiro para procriar

Poder pra o povo

(fernando e gustavo)

libertando o bando inteiro

todo risco calculado

eles saem de Tereza

se mirando nas alturas

libertando a raça ao meio

tanta pena derramada

vem no ar

faz raiar o dia inteiro sabiá

canta o Sol

claro céu tão novo todo a brilhar

sabiá que canta preso

piando um espaço pra voar

canta o macho

canta a fêmea

canta todo sabiá

Hollywood

(renato e gustavo)

cai a bomba da ignorância

propaganda é o carma do negócio

exclusão reforça preconceito

domination, tudo hollywood

sob o céu do reich corporation

resistência é a alma do negócio

globaliza a luta pela vida

hollywood quer que a gente morra

cai o preço mercado mercado das almas

propaganda é a arma hollywood

vende o mundo salda a diferença

a indústria quer que a gente morra

monopólio do comportamento

shopping center degenerativo

coca-cola causa ancefalia

hollywood o gosto da verdade

Posted by in letras and tagged as